Sábado, 26 de Fevereiro de 2011

O lado obscuro

 

Passou no seu casamento por aquilo que é quase um facto universal - os indivíduos são diferentes uns dos outros. Basicamente, constituem um para o outro um enigma indecifrável. Nunca existe acordo total. Se cometeu algum erro, esse erro consistiu em ter-se esforçado demasiadamente por compreender totalmente a sua mulher e por não ter contado com o facto de, no fundo, as pessoas não quererem saber que segredos estão adormecidos na sua alma. Quando nos esforçamos demasiado por penetrar noutra pessoa, descobrimos que a impelimos para uma posição defensiva e que ela cria resistências porque, nos nossos esforços para penetrar e compreender, ela sente-se forçada a examinar aquelas coisas em si mesma que não desejava examinar. Toda a gente tem o seu lado obscuro que - desde que tudo corra bem - é preferível não conhecer.

Mas isto não é erro seu. É uma verdade humana universal que é indubitavelmente verdadeira, mesmo que haja imensas pessoas que lhe garantam desejar saber tudo delas próprias. É muito provável que a sua mulher tivesse muitos pensamentos e sentimentos que a tornassem desconfortável e que ela desejava ocultar de si mesma. Isto é simplesmente humano. É também por este motivo que tantas pessoas idosas se refugiam na própria solidão, onde não serão incomodadas. E é sempre sobre coisas de que elas não desejariam estar muito cientes. O senhor não é, obviamente, responsável pela existência destes conteúdos psíquicos. Se, apesar disto, ainda for atormentado por sentimentos de culpa, reflicta então sobre os pecados que não cometeu e que gostaria de ter cometido. Isto poderá eventualmente curá-lo dos seus sentimentos de culpa relativamente à sua mulher. C. Jung

 


publicado por o homem das pipocas às 10:37
link do post | comentar | favorito
|

O cansaço de Ana

 

Ana costuma olhar pela janela do carro parado na encruzilhado da dúvida, prisioneiro de um semáforo indeciso da cor a indicar ao tráfego agitado da vida. Olha através do vidro e deixa escorrer o olhar por tudo que alcança. Acende a esperança em forma de um cigarro arrojado. Nas fumaças do presente visualiza um poema no conta-quilómetros da sua existência:

“ A vida está cansada

 De gente que não vive

De gente ausente de si mesma.

Andamos perpetuamente em busca de algo

Que está bem longe de nós, bem longe e à frente dos nossos passos,

Talvez num desvio que nunca caminhemos!

Nunca olhamos as flores em nosso redor, nem a felicidade de m sorriso de Agora.

Fazemos poemas de esperança

Fazemos poemas de saudade… e esquecemos de Viver!”

Ps. Há um tio que te adora!

 


publicado por o homem das pipocas às 10:30
link do post | comentar | favorito
|

Exuberância do egoismo

 

 

 

Para que serve esse “cachucho” enfiado na exuberância do egoísmo, em cima do qual nenhum ser humano se pode colocar, e essa imagem de “chefe de família” que excede a modéstia e a essência dos laços de sangue? Vi-te frequentes vezes propores modelos de vida que nem tu, que propunhas, tinhas alguma esperança de seguir ou, o que é pior, desejo de o fazer. Para que serve a magnificência e o tamanho do teu transporte privado, quando a única viagem que verdadeiramente fazes não ultrapassa a reduzida distancia que vai de ti a ti? Ouvi frequentes vezes o suspiro artificial das tuas preocupações, quando os teus próprios ouvidos se fechavam aos gemidos de quem contigo partilha uma origem.  Sob a máscara do esquecimento e do equívoco, invocas como justificação a ausência de más intenções, expressas sentimentos e paixões cuja realidade seria bem melhor, tanto para ti próprio como para os outros, que confessasses a partir do momento em que não estás à altura de os dominar.”

 


publicado por o homem das pipocas às 10:24
link do post | comentar | favorito
|

A mentira reina sobre o mundo

 

 

 

 

 

“É na faculdade de mentir, que caracteriza a maior parte dos homens actuais, que se baseia a civilização moderna. Ela firma-se na mentira religiosa, na mentira política, na mentira económica, na mentira matrimonial, etc... A mentira formou este ser, único em todo o Universo: o homem antipático.
Actualmente, a mentira chama-se utilitarismo, ordem social, senso prático; disfarçou-se nestes nomes, julgando assim passar incógnita. A máscara deu-lhe prestígio, tornando-a misteriosa, e portanto, respeitada. De forma que a mentira, como ordem social, pode praticar impunemente, todos os assassinatos; como utilitarismo, todos os roubos; como senso prático, todas as tolices e loucuras.

Porque é que, na maior parte das vezes, os homens na vida quotidiana dizem a verdade? Certamente, não porque um deus proibiu mentir. Mas sim, em primeiro lugar, porque é mais cómodo, pois a mentira exige invenção, dissimulação e memória. Por isso Swift diz: «Quem conta uma mentira raramente se apercebe do pesado fardo que toma sobre si; é que, para manter uma mentira, tem de inventar outras vinte». Em seguida, porque, em circunstâncias simples, é vantajoso dizer directamente: quero isto, fiz aquilo, e outras coisas parecidas; portanto, porque a via da obrigação e da autoridade é mais segura que a do ardil. Se uma criança, porém, tiver sido educada em circunstâncias domésticas complicadas, então maneja a mentira com a mesma naturalidade e diz, involuntariamente, sempre aquilo que corresponde ao seu interesse; um sentido da verdade, uma repugnância ante a mentira em si, são-lhe completamente estranhos e inacessíveis, e, portanto, ela mente com toda a inocência.”

 


publicado por o homem das pipocas às 10:16
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 28 de Setembro de 2010

...

Mariejo aux Vale Rodrigo

 

Le rêve de cet horizon lointain

Le pays retourné dans le cycle des saisons

La fêlure de ce bleu meurtri

Mais sans cesse recommencé...


publicado por o homem das pipocas às 15:58
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 9 de Janeiro de 2010

...

The Painting Sisters in Armona

 


publicado por o homem das pipocas às 20:01
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sábado, 17 de Outubro de 2009

Janela do amor

 

 

Esqueci de apagar o candeeiro do desejo

E adormeci olhando para uma janela

Meio aberta

Meio fechada

Meio iluminada

Meio apagada

Dando para um muro

Para um jardim

Para uma rua

Para o alcatrão

Para a verdura

Para a escuridão

Para a claridade…

A janela do amor faz-me adormecer!


publicado por o homem das pipocas às 09:34
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 16 de Outubro de 2009

Marselha-Olhão: Import/Export

Vivências em duas geografia!


publicado por o homem das pipocas às 19:10
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 14 de Outubro de 2009

Chocos com tinta

Volto já, disse-me ela, e saiu

deixando a porta aberta e

 os chocos em lenta chama.

Chocos com tinta:

Jantar romântico a dois!

Reencontrei-a seis anos depois:

Apagaste a chama?

Perguntou-me ela.

Longos a fritar estes chocos

com  tinta do amor:

umas vezes vermelha de paixão,

outras negra de dor!


publicado por o homem das pipocas às 22:10
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 13 de Outubro de 2009

Os Zés da Ilha

 

 

A onça de tabaco, o livro das mortalhas, os óculos de sol

Para esconder os estragos da noite,

Uma garrafa de cerveja sempre cheia de tédio,

 vazia de sonhos e de sensibilidade:

Os Zés da ilha demissionaram-se da realidade.

Cobram o reconhecimento por feitos passados

De um passado que nunca passou e, dormem ao abrigo

De um futuro dependente da meteorologia social.

Chegaram mal alimentados, mal alojados, mal casados

Permanecem bem bebidos, bem comidos, bem fumados:

Os Zés da ilha são os hippies da actualidade: enrolam o charro

Quotidiano sob o olhar critico das gaivotas ganzadas de liberdade

E de azul e de mar e de espaço e de paz e altivez…

Os Zés da ilha fecundam o tempo mudo

Projectando na tela da ilusão de um inacessível porto de abrigo.

Hibernam no inverno em marinada de cerveja e nicotina

Aguardando o Banho -Maria primaveril para ressuscitarem

No refogado estival com a chegada de amigos turisticamente generosos.

 


publicado por o homem das pipocas às 06:57
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 1 seguidor

.pesquisar

 

.Fevereiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25

27
28


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. O lado obscuro

. O cansaço de Ana

. Exuberância do egoismo

. A mentira reina sobre o m...

. ...

. ...

. Janela do amor

. Marselha-Olhão: Import/Ex...

. Chocos com tinta

. Os Zés da Ilha

.arquivos

. Fevereiro 2011

. Setembro 2010

. Janeiro 2010

. Outubro 2009

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs

.subscrever feeds